Dados Estruturados: O que são e por que ajudam em SEO

dados estruturados

Busca por voz e o uso de inteligência artificial (AI) e machine learning (ML) são fortes tendências no mundo da tecnologia e até nos motores de busca. 

Para facilitar a adaptação do seu site ou e-commerce para esse futuro cada vez mais próximo, o uso de dados estruturados é fundamental.

Isso porque a implementação da marcação de structured data colabora bastante com o SEO já que torna mais fácil para o Google (e outros buscadores) interpretar e classificar os resultados de pesquisa.  

Quer saber como? Então continue conosco no post!

O que são Dados Estruturados?

Mais conhecidos como esquemas de marcação, os dados estruturados são informações em formato padronizado solicitadas pelos mecanismos de busca para que eles possam entender o conteúdo das páginas web. 

E assim consigam criar o ranking da página de resultados da busca orgânica da melhor forma possível. 

Por exemplo: em um site de suplementos alimentares, o Google precisa encontrar informações relevantes para posicioná-lo no ranqueamento da Search Engine Results Page (SERP) como:

 

  • O que é suplemento alimentar
  • Para que serve 
  • Quais o componentes presentes na fórmula
  • Como tomar o produto
  • Para quem é recomendado, etc.

Para que servem os dados estruturados

Esse formato padronizado de organização de dados no site permite que o Google possa coletar informações sobre a internet e o que está acontecendo no mundo. 

E também ranquear resultados de pesquisa de forma mais aprimorada inclusive ativando recursos especiais para obter melhorias na SERP. 

Para se ter uma ideia, quando as páginas têm dados estruturados válidos, elas ficam aptas a serem exibidas inclusive nos resultados de pesquisa por imagens ou vídeos. 

O que é o Schema.org?

Usado de maneira colaborativa e aberta, o Schema.org é um vocabulário para marcação de dados estruturados em sites, e-mails, etc. que oferece diferentes tipos de codificações como RDFa, JSON-LD, Microdata, entre outros. 

 

O que facilita bastante a vida de webmasters e desenvolvedores na hora de escolher o melhor esquema de dados estruturados para as páginas. 

Isso porque o Schema.org reúne a maior coleção compartilhada e gratuita da web. 

Schema.org na pesquisa Google

A maior parte dos dados estruturados do Google Search utiliza o vocábulo Schema.org e costuma ser compatível com os seguintes formatos:

 

  • JSON-LD: é a opção recomendada para pesquisa Google já que o mecanismo de busca consegue ler esse formato de dados estruturados quando são inseridos de maneira dinâmica no conteúdo do site (por widgets ou código JavaScript). É utilizado no corpo da página e no cabeçalho por meio do uso da tag <script>. Vale lembrar que essa marcação não intercala com textos que são visíveis aos internautas.  
  • RDFa: é a extensão HTML5 que permite usar atributos de tags HTML no cabeçalho e corpo da página. O formato de dados estruturados RDFa serve para criar descrições para o Google sobre todo o conteúdo das páginas que são visíveis aos internautas.  
  • Microdados: é o formato de dados estruturados usado em HTML. Com Microdados, é possível nomear propriedades que serão exibidas na marcação de structured data por meio de tag HTML que geralmente é inserida no corpo do site, mas também podem ser colocada no cabeçalho. 

Como posso implementar os dados estruturados?

Para implementar esquemas de marcação no seu site, o primeiro passo é seguir direitinho as diretrizes para dados estruturados do Google e também de cada mecanismo de busca que você pretende posicionar melhor na SERP. 

 

Dessa forma você fornece as informações de forma clara que os motores de pesquisa precisam para fazer o ranqueamento e ainda melhora seu posicionamento apenas com White Hat SEO. 

 

Outra dica importante que facilita o processo de implementação é o uso da ferramenta Assistente de Marcação para Dados Estruturados do Google que é voltada para webmasters.

 

A correta marcação de structured data ajuda o Google a oferecer a melhor experiência de pesquisa para seus usuários; colabora com o internauta ao contribuir com informações mais relevantes na SERP; além de ser grande aliada para o SEO.  

Exemplos de marcação de dados estruturados

Como marcar dados estruturados na prática? 

Na página Developers.com do Google, o exemplo apresentado é o seguinte:

 

<script type=”application/ld+json”>
{
  “@context”: “http://schema.org”,
  “@type”: “Organization”,
  “url”: “http://www.example.com”,
  “name”: “Unlimited Ball Bearings Corp.”,
  “contactPoint”: {
    “@type”: “ContactPoint”,
    “telephone”: “+1-401-555-1212”,
    “contactType”: “Customer service”

Sitelink

Com o objetivo de melhorar a experiência de navegação do usuário da pesquisa Google, os sitelinks foram criados. 

Eles são os links exibidos logo abaixo de alguns resultados de busca. 

Mas, é preciso ressaltar que eles só estão ali porque o buscador entendeu que essa linkagem de fato ajuda o internauta a navegar melhor e encontrar mais rápido a informação procurada.

Não há como configurar sitelinks no Google Search Console (o máximo que você pode fazer é revelar ao buscador o que você não quer que seja linkado no resultado de pesquisa, mas não é garantido que irá acontecer). 

A única forma de conseguir que seu site tenha sitelinks exibidos na SERP é estando na primeira posição. 

E para alcançar a liderança do ranqueamento é necessário muito trabalho de SEO, o que inclui também a implementação de dados estruturados nas páginas (por exemplo, o uso de textos descritivos para o Google por meio de RDFa, uso de atributos descritivos de imagem, etc.) 

Vale lembrar que para criar sitelinks, o Google só analisa marcação de dados estruturados em HTML.   

Produto

O objetivo é ranquear melhor para vender mais produtos do seu e-commerce? 

Então o uso de Rich Snippets, que são marcações de dados estruturados no código HTML do site é obrigatório, já que serve para organizar e classificar de forma otimizada o conteúdo de sua páginas com a ajuda de Web Semântica e análise de intenção de compra do usuário.  

 

A marcação de dados estratégicos para produtos no Rich Snippets torna mais fácil para os  buscadores entenderem a relevância da sua página de produto e consequentemente posicionarem melhor a loja virtual nos resultados de busca orgânica. 

 

Com isso a taxa de cliques (CTR – que é um dos fatores de ranqueamento do Google) aumenta assim como as chances de conversão.  

 

O uso de Rich Snippets em HTML de e-commerces facilita também a vida dos internautas que estão pesquisando porque, ainda na SERP, eles obtêm informações adicionais sobre o produto como:

 

  • Preço
  • Disponibilidade 
  • Classificação de avaliações    

Como fazer marcação de dados em produtos

Esse tipo de markup é feito no Google Search Console. 

Na opção Aspecto de Pesquisa, é só clicar em Marcador de Dados e depois no botão Começar a Destacar. 

Na sequência, você insere a URL que deseja configurar os dados estruturados e escolhe a formatação da marcação. 

Para finalizar, é só selecionar as partes que irá marcar, associar as informações de acordo com o formato escolhido e publicar.  

Dados estruturados para Voz (speakable)

Com o aumento do número de voice search no mundo, o Google Assistant já permite configurar a marcação de dados estruturados speakable

Essa propriedade do Schema.org possibilita encontrar trechos de conteúdo em páginas web ideais para serem reproduzidos em áudio. Depois o texto é convertido em voz (TTS).

Com a marcação de dados estruturados para áudio, os mecanismos de busca conseguem ler em voz alta o conteúdo do texto. 

Mas, no caso do maior motor de pesquisa do mundo, o Google Assistant precisa estar com o TTS ativado. 

Dessa forma a ferramenta compartilha o conteúdo em diferentes canais atingindo assim um número muito maior de internautas.

Diretrizes de dados estruturados speakable do Google

Para constar nos resultados de pesquisa por voz, a página precisa ser qualificada pelo Google como site de notícias válido. 

Para isso, é necessário entrar em contato com o motor de busca por meio da Central do Editor. 

Outra opção é configurar uma edição no Producer no Google Notícias. 

Além disso, as páginas têm que seguir todas as diretrizes para speakable do Google. 

A dica é, só depois de testar na ferramenta de marcação de dados, enviar ao buscador o conteúdo que terá até 5 dias úteis para ser aprovado ou não.

Mas, vale lembrar que, por enquanto, dados estruturados para voz só estão disponíveis para conteúdo em inglês.

Para conferir a definição completa de marcação de dados para busca por voz, basta acessar schema.org/speakable. 

 

  • Objeto: Webpage ou Article
  • Propriedades obrigatórios: usar ou xPath ( /html/head/title) ou cssSelector ( [“headline”, “summary”] )– nunca as duas juntas se não seu conteúdo não será qualificado pelo Google 

Ferramentas que podem auxiliar na implementação

  • Schema.org: oferece esquemas de dados speakable (que é indispensável para responder buscas por voz) de maneira colaborativa e aberta a todos. 
  • Google Assistant: utiliza dados estruturados para voz para responder a pesquisa de notícias sobre um tema específico com até 3 artigos de toda Web. Para ser encontrado na voice search do Google, é necessário realizar a marcação de dados speakable em partes do texto. Então o Google Assistente os lê em voz alta informando a URL do texto ao smartphone ou tablet.

Ferramenta de teste de dados estruturados

Quer saber se a marcação saiu exatamente como você planejou? 

É só usar a ferramenta gratuita de teste de dados estruturados do Google. 

É só copiar o link da página configurada ou inserir um pedaço do código.

 

Depois é só clicar em Executar Teste. 

Caso esteja algo diferente do que você queria, é só modificar a marcação de dados.  

Schema markup generator

Fazer a marcação de dados nas páginas corretamente requer alguns conhecimentos técnicos. 

Mas, se você ainda não tem, a dica é usar o gerador de marcação de dados estruturados do próprio Schema.org.

 

Com o Schema Markup Generator, é só selecionar a marcação desejada e adicionar os dados que a própria ferramenta irá gerar o código. 

Depois basta implementá-lo no site e fazer a validação.   

Por que a marcação de dados continuará em alta nos próximos anos?

O Google está sempre inovando em tecnologia e otimizando a forma de classificar e listar os resultados de busca orgânica para melhorar a experiência dos usuários. 

Por esse motivo o buscador vai continuar precisando dos dados estruturados dos sites para que os resultados de busca sejam cada vez mais ricos e eficazes.

Portanto a marcação de dados em páginas web continuará sendo necessária. 

Além disso, a busca por voz continua sendo tendência para os próximos anos. 

O que requer a correta configuração de dados estruturados speakable.  

Conclusão

A implementação de dados estruturados nos sites é indispensável para conquistar bons resultados na página de resultados da busca orgânica dos mecanismos de pesquisa. 

Gostou desse post? Então assine nossa newsletter e receba todos os conteúdos do blog da Search Lab diretamente em seu e-mail.

Victor Baptista

Victor Baptista

Operações - Search Lab
É especialista em SEO, co-fundador da Search Lab e fundador do Marketagem.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossos Parceiros
Plataformas
Newsletter
Confirme que não é um robô
Rolar para o topo