Como projetar resultados de SEO de forma consciente

como projetar resultados em SEO

Prever os resultados de SEO é difícil, afinal de contas são mais de 200 fatores de ranqueamento que podem interferir.

Entretanto, podemos utilizar alguns métodos estatísticos básicos em conjunto com o histórico de tráfego orgânico, conversões e taxa de conversão do Google Analytics para ter uma ideia do que o futuro nos reserva.

Dessa forma teremos uma previsibilidade maior de resultado e saberemos se precisaremos aumentar os recursos, se o planejamento está no caminho certo, entre outras coisas.

Curtiu a ideia? Então continue a leitura do post pois hoje apresentaremos uma planilha de projeção de SEO e o passo a passo de como utilizá-la.

O que será necessário para montar essa projeção de resultados de SEO?

  • O máximo de dados históricos possível de tráfego orgânico, conversões e taxa de conversão (lembrando que tudo deve ser filtrado somente pelo orgânico) ;
  • Uma lista de eventos que ocorreram nos últimos dois anos e afetaram o tráfego do seu site (exemplo: as anotações feitas no Google Analytics e os impactos delas);
  • Uma meta estipulada para o canal orgânico;
  • Um plano de SEO idealizado para alcançar essa meta.

Leia também:

Qual é a lógica por trás da planilha?

Dados históricos do tráfego orgânico

Como mencionado no tópico acima, para montar a projeção precisaremos de dados históricos de tráfego orgânico.

Por que batemos nessa questão de histórico? 

Quanto maior a base de dados, melhor será o cálculo de sazonalidade e assertividade do método estatístico. Por isso a importância de analisar os dados mais antigos também.

Mas, nada impede você de montar uma projeção de resultados com somente 1 ano de dados históricos. 

Entretanto, tenha em mente que as tendências de sazonalidade e a projeção de tráfego poderão falhar com mais facilidade.

Porém, se você tiver um bom benchmark de sazonalidade, até poderá arriscar em montar a previsão com somente 1 ano de histórico.

A mesma coisa acontece nos dados de conversão pois sabemos que ao longo do processo as configurações de conversão no Google Analytics podem mudar.

Dados históricos de conversão e taxa de conversão

Para montar a projeção precisaremos também do histórico de conversão e taxa de conversão do objetivo desejado (que é uma meta criada no Google Analytics).

Para esses dados, quanto maior o histórico, melhor também.

Entretanto, sabemos que eventualmente podemos não ter o histórico de conversões por conta da meta ter sido cadastrada no GA há pouco tempo  ou por outra questão.

Neste caso, o modelo irá projetar esses dados sem aplicar a sazonalidade.

Como podemos extrair esses dados?

 Se você usa o Google Analytics, é muito simples.

Para extrair o histórico de tráfego orgânico:

  • Use o segmento de sistema “Tráfego Orgânico” 
  • Vá no relatório Canais (Aquisição -> Todo o tráfego -> Canais);
  • Selecione o período desejado;
  • Certifique-se que a visualização dos dados está dividida em meses  (não em dia ou semana);
  • Exporte os dados para Excel ou Google Planilhas (menu de navegação superior).

Para extrair o histórico de conversões:

  • Use o segmento de sistema “Tráfego Orgânico” 
  • Vá no relatório Metas (Conversões -> Metas -> Visão Geral);
  • Selecione o período desejado;
  • Certifique-se que a visualização dos dados está dividida em meses e não em semana ou dia;
  • Em “Opção de metas” escolha a meta desejada (primeiro faça para conclusões de meta e depois para taxa de conversão);
  • Exporte os dados para Excel ou Google Planilhas (menu de navegação superior);
  • Caso o seu site tenha os dados de comércio eletrônico no GA, vá no relatório Comércio Eletrônico (Conversões -> Comércio Eletrônico -> Visão Geral) e repita o 3º e o 4º passo.

Certifique-se que seus dados estão certos

Sabemos que ao longo do ano, podemos contar com diversos desafios, como problemas de servidor, problemas de plataforma, entre outros.

Caso em algum período do seu histórico isso tenha acontecido, você precisará alterar a coluna de ajuste de tráfego orgânico, conversões ou taxa de conversão.

Se você considerar os dados do Google Analytics sem nenhuma intervenção, o modelo de previsão irá calcular as tendências sazonais imprecisas (ex: o modelo vai considerar os problemas de plataforma e servidor como eventos cotidianos).

Para esclarecer, imagine o seguinte cenário:

  • Em fevereiro deste ano, devido a problemas técnicos no servidor e à migração para um novo servidor, você perdeu 100.000 visitas (sessões). É provável que este evento não aconteça no ano seguinte, porém, devido a esse acontecimento você deve aumentar seus números de fevereiro de 2019 (na coluna “Tráfego Orgânico Ajustado” na aba “Dados Tráfego” em 100.000 visitas. Feito isso, você também poderá preencher os dados nas abas de conversão e taxa de conversão (caso necessário).

Cálculo das linhas de tendência

Para calcular a tendência geral, usamos a função “= FORECAST” e calculamos o valor y esperado para um x especificado, com base na regressão linear (função estatística) de um conjunto de dados.

OBS: A planilha já está com as fórmulas todas aplicadas. basta você inserir os seus dados.

Na aba “Dados para o Gráfico” você terá acesso ao cálculo da tendência linear de todo o período considerando as 3 variáveis de projeção: tráfego, conversão e taxa de conversão.

Projeção de resultados em SEO

projeção de resultados

Este é o ponto que mais deve ser revisto, afinal de contas, não temos uma bola de cristal.

A base será o seu conhecimento e experiência com projetos de SEO.

Basicamente, você está estimando o futuro do seu tráfego orgânico e irá compará-lo com a sua meta.

Por exemplo, se para janeiro a sua meta de tráfego é de 10.000 sessões e 500 conversões e a projeção apontar que o resultado de tráfego será de 7.000 sessões e 300 conversões, você deverá montar um plano de ação para melhorar o resultado em direção à meta.

Conversões Projetadas

É aqui que pensamos o tipo de ação que será executada.

Se o prazo é curto, podemos aplicar ações que gerem resultados mais rápidos como otimizar páginas que já geram conversões e otimizar titles e descriptions, por exemplo.

Um outro ponto que devemos prestar bastante atenção são as discrepâncias entre projetado e realizado.

A planilha não é à prova de crises econômicas, problemas de plataforma, etc. Por isso, caso note discrepância de valores, cheque se ocorreu algum evento.

Como avaliar os resultados?

Como informamos no início do post, existem mais de 200 fatores de ranqueamento que interferem no resultado.

Além disso, O Google atualiza ou refina seus algoritmos diversas vezes ao longo do ano.

Nossa recomendação é que a previsão seja revista ao longo do ano.

Por exemplo, aqui na Search Lab costumamos rever / mensurar alguns resultados de 4 em 4 meses

Com cada revisão, os insights ficarão melhores e você ficará mais confiante nas previsões.

análise de metas em seo

Na planilha, o acompanhamento será feito na parte de metas. 

Lá já existem fórmulas prontas que geram o % concluído da meta. 

Fique de olho no progresso.

Adeque o uso da planilha ao comportamento do seu site

Se o seu negócio tem grupos de páginas com comportamentos muito diferentes, como por exemplo: categoria e produto ou site e blog, tente criar planilhas para cada tipo de página.

Dessa forma você terá ainda mais insights.

Sabemos que existem diversos métodos estatísticos e modelos de predição de dados e que dificilmente conseguiremos chegar em um solução definitiva de projeção de resultados.

No entanto, o uso desta planilha oferece uma boa base / ideia do que esperar do futuro.

Curtiram a ideia da planilha? Quais são os métodos de projeção de resultados de vocês? Eu adoraria entender. Comente aqui embaixo

Victor Baptista

Victor Baptista

Operações - Search Lab
É especialista em SEO, co-fundador da Search Lab e fundador do Marketagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossos Parceiros
Plataformas
Newsletter
Confirme que não é um robô
Rolar para o topo