E-commerce para público masculino e feminino: Análises de UX

User Experience (UX) das páginas precisa tanto facilitar a vida das personas quanto colaborar com o objetivo do negócio e de SEO, mas existem diferenças entre sites para mulheres e sites para homens

Nos últimos anos, muito tem se falado em melhorar experiência do usuário nas páginas dos ecommerces e em sites em geral. E a tendência em 2021 é que isso aumente ainda mais, principalmente no primeiro quarter, por conta da preparação das empresas para o update Google Page Experience em maio.

Porém, User Experience (UX) não é uma lista de implementações de SEO Onpage que devem ser feitas no site e pronto. É algo muito mais amplo e personalizado. Portanto é preciso levar em conta o comportamento de usuário das diferentes personas da sua empresa. Mas, também as ações que o seu negócio deseja que sejam realizadas pelos visitantes e leads.

Para se ter uma ideia, dentro de um mesmo nicho como, por exemplo, calçados, o que é considerado uma boa experiência de usuário para o público feminino é totalmente diferente do que é para o público masculino. E olha que isso é apenas uma segmentação, no caso sexo.

Quer ficar por dentro das principais diferenças de UX para ecommerces voltados para o segmento feminino e para o masculino? 

Confira este post Search Lab produzido em parceria com William Gama, que é especialista na criação de sites e lojas virtuais com foco no usuário, para ficar por dentro dos principais aspectos que precisam ser levados em conta quando o assunto é UX em interfaces para o público feminino e para público masculino. 

Como oferecer melhor experiência do usuário no seu ecommerce 

De acordo com William Gama, entender muito bem quem são as personas do seu negócio é indispensável para oferecer melhor experiência do usuário em sites. Isso porque UX está presente em sua loja virtual ou site de vendas em diferentes aspectos como:

  • Layout do site: User Interface (UI) é indispensável porque mais do que um belo design que reflete a identidade visual da sua marca, o layout do site precisa facilitar a vida do usuário do ponto de vista de usabilidade e navegabilidade (até mesmo para viabilizar conversões e vendas online) 
  • Tom de voz da marca: UX também está presente na forma como sua marca se comunica com os usuários. Então um ecommerce voltado para o público feminino precisa ter um tom de voz diferente de um voltado para o masculino (mesmo que sejam do mesmo nicho como calçado, moda, etc.).
  • Produção de conteúdo: engloba o planejamento de texto, vídeo e imagens com base na intenção do usuário (user intent) e para isso deve resolver suas principais dores. E também engloba aspectos estruturais como, por exemplo, a organização das informações na página (onde entra bloco de texto, onde entram as imagens, vídeos,CTAs gráficos, etc). Até mesmo as técnicas de escaneabilidade e linkagem interna em conteúdos otimizados que favorecem a experiência de leitura do usuário. 
  • Tecnologia: ter um provador virtual no site, por exemplo, costuma melhorar a experiência do usuário nas páginas e inclusive aumenta as chances de vender mais online. Porém, antes de implementar esse recurso, é preciso ter certeza que ele não vai gerar lentidão no ecommerce ou site. Até porque isso traria problemas de UX e SEO (ninguém aguenta esperar carregar páginas muito tempo, nem mesmo para experimentar virtualmente um produto que quer comprar).

UX, UI e SEO: analisando o comportamento do usuário no Google Analytics

Colocar uma tabela de medida em um ecommerce masculino, por exemplo, vem se mostrando uma boa estratégia de UX Design que pode ser confirmada na análise de métricas de comportamento no Google Analytics.

E também ao analisar eventos como você pode verificar abaixo no print do GA de um de nossos clientes do segmento de moda masculina. 

Exemplo de análise de comportamento de usuários em ecommerce masculino no Google Analytics

Além disso, colocar um provador online na loja virtual também é uma boa prática tanto para negócios voltados para público feminino quanto os que atendem o público masculino. E principalmente para ecommerces e sites em geral que atendem os 2 segmentos como é o caso do cliente citado no exemplo.

UX em ecommerces: diferença de experiência do usuário em lojas virtuais para o público feminino e masculino   

“Desde a forma como o conteúdo de um produto é divulgado até a escolha de cores e formas para compor a interface, tem diferença sim em experiência do usuário entre ecommerce feminino e masculino. Na verdade, o ideal é que uma interface seja desenvolvida de maneira até mais específica: baseada na persona, não apenas na segmentação de sexo” – explica o UX Designer William Gama. 

Ele ainda destaca que é indispensável ter atenção especial em cores e formas para compor a interface (UI)  que é o site ou loja virtual em si.Isso porque influencia diretamente em UX que é como o usuário se comporta e reage através de uma experiência com essa interface

Além disso, ele ressalta a importância do UX Design para lojas virtuais ser todo pensado de acordo com o tipo de segmento que atende: feminino ou masculino. “São fundamentos do design aplicados na usabilidade como psicologia das cores, definição de estilo sóbrio/clássico ou moderno.”

Porém, quando o assunto é UX e SEO, vale lembrar que todo o cuidado com o design precisa focar também nos objetivos do negócio (principais ações que a marca quer que o usuário realize facilmente no site). 

 UX Design em loja virtual feminina: exemplo 

Exemplo de UX Design em ecommerce feminino
Fonte: Portfólio Willliam Gama

UX Design em loja virtual masculina: exemplo

Exemplo de UX para ecommerce masculino que colabora com SEO e ao mesmo tempo incentiva ação do usuário
Exemplos de UX Design que colabora com SEO e conversões pensado para as personas do público masculino
Exemplo de UX Design em ecommerce masculino pensado para equilibrar experiência do usuário, SEO e conversões

Conclusão

A experiência do usuário precisa ser pensada para facilitar a vida das personas do seu negócio tendo como base as dores delas, mas também as ações que o seu negócio quer que sejam realizadas no site ou ecommerce.

E para conciliar essas duas prioridades, o UX Designer só tem a agregar. Não apenas do ponto de vista de um layout de site sofisticado, que expresse bem a comunicação visual da marca, mas também que facilite:

  • Usabilidade 
  • Navegabilidade
  • Colabore com a arquitetura da informação 
  • Facilite implementações de SEO On Page e otimizações de conteúdo (linkagem interna, CTAs gráficos, etc.)
  • Viabilize a implantação de tecnologias que incentivem conversões e vendas online como provador virtual, tabela de medidas e tamanhos de calçados, roupas ou qualquer outro produto ou serviço

Quer entender melhor sobre como métricas de UX impactam no canal orgânico? Baixe gratuitamente nossa Pesquisa SEO: O que impacta em posicionamento médio, tráfego e conversão. 

Baixe gratuitamente a pesquisa SEO da Search Lab: O que impacta em tráfego, posicionamento e conversão

*Conteúdo feito em parceria com o UI e UX Designer William Gama

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossos Parceiros
Plataformas
Newsletter
Confirme que não é um robô
Rolar para o topo