Densidade de palavra-chave: quantas vezes a keyword deve aparecer nos conteúdos otimizados para SEO

Textos otimizados para mecanismos de busca requerem criatividade e estratégia. Não basta apenas fazer pesquisas de palavra-chave, é preciso também saber usá-las corretamente no conteúdo. Isso porque keywords repetidas em excesso costumam ocasionar queda no ranqueamento.

Quantas vezes a palavra-chave pode aparecer no conteúdo? Por que não se deve mais criar textos com excesso de repetição de keywords? As respostas para essas perguntas você encontra neste post. Confira:

O que é densidade de palavra-chave

Também conhecida como Keyword Density, a densidade de palavra-chave nada mais é do que a mensuração da quantidade de vezes que a keyword aparece no conteúdo.

Antigamente o percentual alto era indispensável para conquistar as primeiras posições nas páginas de resultado de busca orgânica (SERP). Mas, hoje em dia, a realidade é outra e a densidade de palavra-chave é muito menor. Como o Google nunca informou a melhor prática em relação a isso, não se tem um número exato. Mas, na prática, até 2% tem apresentado bons resultados em nossas análises.

Vale lembrar que ficar de olho na quantidade de vezes que a palavra-chave aparece no texto também evita uma técnica blackhat chamada Keyword Stuffing que é a repetição excessiva e artificial de um termo.

Ficou preocupado com isso? Então relaxa porque existem várias ferramentas de densidade de palavra-chave no mercado. Mas, o bom senso ajuda bastante a não usá-las demais. Eu, por exemplo, releio os textos otimizados que escrevo várias vezes inclusive para ter certeza que estão naturais (isso costuma ser um indício que a keyword density está ok).  

Por que hoje em dia não se repete tanto palavras-chave?

Quem tem boa memória deve lembrar que era muito comum encontrar conteúdo otimizado para SEO com repetição excessiva de uma determinada palavra-chave exata. Naquela época, esse estilo nada natural de escrita, era muito utilizado porque realmente resultava nas primeiras posições da SERP.

Mas, os tempos mudaram! As constantes atualizações do Google fizeram com que o maior motor de busca do mundo conseguisse interpretar conteúdo de forma bem similar aos seres humanos. E assim texto otimizado relevante passou a ser aquele autêntico, útil e escrito de maneira natural.

Keyword stuffing e suas consequências para SEO

Em 2019, ainda tem empresa que usa repetição excessiva de palavra-chave no conteúdo como tática de SEO? A resposta é sim (embora não estejamos aqui para julgar..).

Claro que reduziu muito se você comparar com a quantidade de Keyword Stuffing praticado há 10 anos ou mais. Mas, esse tipo de blackhat ainda ocorre mesmo trazendo prejuízos para quem usa.

A queda no ranking é a penalização mais evidente (inclusive pode ter até banimento dos bancos de dados do Google). E quando isso acontece há grandes impactos no faturamento principalmente em projetos para e-commerces.

E por que o Google faz isso?O primeiro motivo é que textos artificiais são nada agradáveis para os usuários (ou seja, estão na contramão do que o buscador prioriza na hora de ranquear). Sem contar que conteúdo com densidade de palavra-chave alta costuma ter o único objetivo de chegar ao topo da SERP tentando enganar os algoritmos do Google.
Mas, nos últimos anos, isso está cada vez mais difícil. Principalmente depois das novas atualizações do Panda que permitiram identificar esse blackhat com mais facilidade e punir seus praticantes.

Google e a busca semântica

Em 2009, Martha Gabriel afirmou em seu livro SEM e SEO: dominando o marketing de busca que a tendência seria o SEO evoluir (SEO 3.0) assim como aconteceu com a internet.

Nas palavras da autora: “Nesse sentido, a busca não será mais baseada em palavras-chave e sim em significados e isso deve causar impacto nas técnicas de SEO”. Há 10 anos, ela também afirmou que a busca semântica seria uma necessidade.

E ela estava certa! O update Hummingbird, em 2013, permitiu o aprimoramento da busca semântica. Por isso o buscador só exibe na SERP exatamente o que a pessoa procura.

Exemplo disso é você pesquisar jogo Botafogo e os resultados da busca orgânica mostrarem as partidas do time e sem nenhum conteúdo sobre pessoas jogando no bairro carioca. O que comprova que você não precisaria entupir o texto com a keyword Botafogo F. C., por exemplo, para garantir que o usuário encontre o conteúdo.

Otimização de conteúdo para SEO mudou devido à busca semântica

As atualizações do Google melhoraram bastante sua interpretação semântica. O que resultou também em novas estratégias de produção de conteúdo otimizado. Por isso não se repete mais excessivamente keywords nos conteúdos e a intenção do usuário se tornou fundamental para SEO.

Para evitar então Keyword Stuffing, o uso variações de keywords (sinônimos, termos relacionados e mescla de long tails e head tails) foi a solução encontrada. Na figura abaixo, E-book é o exemplo de palavra-chave head tail.Confira:

Como repetir keywords em conteúdo otimizado (sem blackhat)

As head tails não são mais as únicas protagonistas dos conteúdos de SEO como eram antigamente. Então para produzir texto otimizado, sem deixar de ser natural e agradável ao usuário, basta usar keywords com bom senso. Não há receita de bolo, mas existem alguns lugares estratégicos para serem colocadas e a hierarquia de headings facilita encontrá-los. Confira:

  • Título do texto (H1)
  • Se for também um texto-âncora: primeiro parágrafo apenas uma vez ( ou o mais acima possível)   
  • Em qualquer um dos H2 do conteúdo (ou H3 se parecer artificial)
  • Não tem uma quantidade certa ao longo do texto (até porque há conteúdos de diferentes tamanhos e objetivos). Mas, a média recomendada é não passar de 5 vezes com naturalidade
  • Pode colocar também no último parágrafo do texto no Call to Action (CTA) – mas, se já tem demais pode usar sinônimo ou long tail para evitar excesso de repetição (mas, isso pode variar porque vai depender do tipo de conteúdo e a estratégia planejada para ele).
  • Title (título da página)
  • Texto Alt da imagem
  • URL amigável

Qual a densidade de palavra-chave recomendada atualmente

Para se ter ideia de como o SEO para conteúdo mudou, há menos de 10 anos, a densidade de palavra-chave ideal era entre 2% e 8% enquanto hoje (2019) o percentual de repetição de keyword no texto é até 2%.

Mas, não se prenda tanto a essa porcentagem porque colocando nos locais estratégicos costuma assegurar a densidade ideal. Na dúvida, analise se o conteúdo está natural (e recorra a variações se não estiver). Isso porque a qualidade do texto é mais relevante para o Google do que técnicas que deixam o conteúdo artificial.

Portanto para evitar Keyword Stuffing, é preciso usar sinônimos, palavras-chave long tails e termos relacionados.

Além disso, o conteúdo precisa ser escrito de ser humano para ser humano. Ou seja, nada de máquinas escrevendo para robôs ou pessoas escrevendo exclusivamente para os algoritmos. Caso contrário, a página  provavelmente não vai performar bem.

Conclusão

Repetição excessiva de keyword exata faz parte apenas da história do SEO. Na prática, essa tática ultrapassada resulta em penalizações para quem a utiliza.

Perder posições no ranqueamento é a consequência imediata, mas pode acabar prejudicando também os lucros da empresa. Afinal, o usuário que procura pelo produto ou serviço do seu e-commerce não irá encontrá-lo na SERP e pode acabar fechando negócio com a concorrência.

Mas, não se preocupe. Com a ajuda de experts em SEO, você pode evitar problemas no conteúdo das páginas. Porém, o mais importante é de agora em diante você entender que a melhor experiência do usuário é a prioridade do Google. Por isso textos relevantes com naturalidade são fundamentais para o buscador.

Anna Cecília

Anna Cecília

Conteúdo - Search Lab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossos Parceiros
Plataformas
Newsletter
Confirme que não é um robô
Rolar para o topo