O que é SEO

Nessa postagem vamos destrinchar alguns pontos sobre SEO. Todo conteúdo foi elaborado não só pensando na parte técnica mas também na visão de negócio, avaliando todo impacto que um projeto de SEO.

Vamos falar sobre:

  1. O que é SEO
  2. Tipos de projetos em SEO
  3. Porque as empresas investem em SEO
  4. Quais são os resultados esperados com projetos de SEO

O que é SEO

Não podemos começar a falar de SEO sem fugir à regra, o que significam essas 3 letras?

Search Engine Optimization, traduzindo, podemos entender como otimização para sites de buscas. O que são buscadores? Sites como Google, onde são feitas buscas afim de encontrar melhores resultados.

Os 3 buscadores mais usados no Brasil são Google com 81% das buscas feitas por ele, em segundo vem o chinês Baidu com 8%, depois o Bing mordendo das buscas 6% e ocupando a quarta posição, com 4% vem o Yahoo. Esses números representam a participação em buscas feitas por desktop/laptop e mobile, no período de dezembro de 2016 até novembro de 2017.

buscadores usados no brasil

Fonte: Net Market Share

Assustadora a diferença entre os buscadores não? Tempo de mercado, evolução na experiência de busca, algoritmos, entre outros fatores são as causas que fazem do Google ser o líder isolado. Mas isso é assunto para um outro conteúdo, vamos nos atentar ao importante, SEO!

A otimização para os mecanismos de busca basicamente é feita potencializando os fatores de ranqueamento (são cerca de 200 de pontos analisados pelo Google) da sua página, para que ela seja vista e analisada pelos buscadores como relevante para um determinado termo buscado.

A medida que sua página ganha relevância perante ao Google e aos usuários, ela tende a melhorar o posicionamento na SERP (Search Engine Results Page, em português significa página de resultados das buscas) para um determinado termo.

Vamos para um exemplo!

Fizemos uma busca no Google para o termo: algoritmos do Google

Esse termo, segundo o KeywordPlanner tem uma média de 90 buscas por mês. Isso quer dizer que por mês existem 90 buscas feitas no Google, independente do dispositivo (dektop ou mobile).

KeywordPlanner algoritmo do google

Fonte: KeywordPlanner

Pensando em um universo de e-commerce, é um termo com volume de busca baixo. Pensando em negócio, para uma empresa que só trabalha com SEO, é um termo relevante, faz sentido trabalhar nele pois as pessoas que fazem essa busca tem um interesse em saber como o Google funciona e como são feitas as buscas. Possivelmente essa SERP é mais voltada para pessoas que já estão no mercado ou que estão entrando nele. Para nós, ganhamos em branding associando nossa marca aos algoritmos e apresentando um conteúdo relevante para esses usuários.

A SERP atual do termo “algoritmos do Google” apresenta no Top3, a Conversion, (também agência que trabalha com SEO), em 2º a Search Lab e logo abaixo um conteúdo do próprio Google. Pode parecer estranho mas sim, é um conteúdo falando do Google e ele não está em primeiro.

serp algoritmo do google

O resultado da SERP foi esse devido aos fatores de ranqueamento de cada uma dessas páginas e também a estratégia que cada uma das empresas (Search Lab, Conversion e Google) usou para ranquear para esse termos, propositalmente ou não.

No nosso caso, criamos uma página específica para o termo (https://searchlab.com.br/algoritmos-do-google/), otimizamos URL, Title e Meta Description para “algoritmos do Google”. Criamos linkagem interna dentro de conteúdos e menu para facilitar a navegação do usuário e crawler, além de potencializar a capilaridade da autoridade.

otimizacoes SEO url title description

Além dessa otimizações, trabalhamos conteúdo, autoridade entre outros fatores de ranqueamento.

 

Quando e por quanto tempo fazer o trabalho de SEO?

Sempre, pelo resto da vida do site. Inicialmente os projetos (no geral) trabalham muito forte a tecnologia do site proporcionando ao Google uma melhor leitura do código, em paralelo ou logo em seguida pegam áreas mais voltadas para experiência de navegação do usuário, como layout, conteúdo e arquitetura, o terceiro pilar trabalhado é a autoridade, ganhando relevância através de backlinks em outros sites.

Pensando nessa ordem, maior relevância em resultados deve ser trabalhada depois que o site estiver  rodando bemou seja, com uma boa estrutura tecnológica e oferecendo uma boa navegação. O quanto antes começar o projeto, mais rápido terá resultados.

A palavra sempre é muito forte não? Mas sim, o projeto deve ser contínuo já que você não sabe o que seu concorrente vai fazer, o Google tem vários fatores de ranqueamento e ele os atualizada cerca de 600 vezes por ano.

Vale ressaltar que o que te fez ganhar posicionamento hoje possivelmente não será o que te fará ganhar posições amanhã. As atualizações dos algoritmos do Google são responsáveis por criar um controle nas buscas e proporcionar sempre a melhor experiência nas buscas para o usuário.

Se te perguntarem o que é SEO e tiver que responder em 2 linhas

SEO é um trabalho para melhorar o negócio através das buscas orgânicas de buscadores através de uma estratégia bem definida, potencializando fatores de ranqueamento.

A otimização das páginas de produtos é um ponto super importante para os resultados em SEO . Vamos bater um papo para saber como podemos ajudar seu e-commerce?

Quero trocar uma ideia com especialistas em SEO!

Tipos de projetos em SEO

Os projetos são dos mais diversos, na Search Lab temos projetos focados em migração de plataforma, performance em vendas ou outro tipo de conversão e auditorias. Existem outros projetos, mas ao menos aqui na agência, eles entram em um formato taylor made, nesse conteúdo vamos falar dos 3 mais comuns.

Antes de cair dentro dos tipos de projetos, é preciso falar mais sobre a visão do negócio e os motivos para se investir em SEO.

Os projetos de SEO tem algumas características importantes para o negócio. É um canal de resultados em longo prazo, existem muitas circunstâncias que definirão o quão longo é esse prazo mas em sua boa parte o retorno começa a vir em uns 6 meses.

Os principais fatores que dirão quanto tempo o SEO se tornará um investimento rentável são:

  1. Empenho na implementação das demandas de SEO
  2. Nicho que o negócio está inserido
  3. Otimizações e ajustes possíveis na plataforma
  4. Perfil de players

É importante ter essa percepção do impacto, prazos e dificuldades que terá com o projeto no negócio para que qualquer que seja o projeto tenha aderência na empresa e flua conforme o planejamento.

Visto isso, podemos partir para alguns tipos de projeto de SEO que nós e outras empresas ou freelancers atendem o mercado.

Migração de plataformas

Os projetos de migração são basicamente para mitigar riscos de perda de autoridade no momento em que um site passa de uma plataforma para outra.

É tão simples quando você troca de celular e já está com tudo no seu chip ou na nuvem e o trabalho é só de passar de um celular pro outro não? No máximo fazer um ajuste fino em uns contato ou configurações. A migração em SEO é vista mais ou menos assim, trocar de plataforma sem que o cliente tenha problemas, ou pelo menos poucos problemas rsrsrs.

Em projetos de migração existem pontos fundamentais que devem ser trabalhados, eles não fogem muito a regra, independente de qual plataforma esteja saindo ou entrando. Vamos bater ponto a ponto dos principais itens que é preciso ter atenção na virada.

Padrão e mudança de URLs para formatos amigáveis e otimizados

As URLs e sua formatação geralmente são pontos que podem ser otimizados ou refinados em mudanças de plataforma. A otimização mais importante nesse caso é deixar em um formato amigável, onde o crawler do Google e usuários conseguem ler a URL e ver a relevância para os termos principais.

Assim como nós, o Google lê da esquerda para direita, logo, as palavras-chave importantes para determinada página deve estar o mais perto possível do domínio.

Algumas boas práticas para estruturar bem as URLs são:

  • Não use variação de letras maiúsculas e minúsculas, use somente letra minúscula
  • Não use carter especial, existem navegadores que tem dificuldade ou limitação em sua interpretação
  • Evite muitas separações em pastas
  • Use padrões no final ou início da URL como
    • /c para categorias, exemplo: dominio.com.br/cnome-da-categoria/c
    • /p para produtos,  exemplo: dominio.com.br/nome-do-protudo/p
    • /l para landing pages,  exemplo: dominio.com.br/nome-da-landing-page/l

Redirecionamentos e De/Para

Aqui é onde devemos ter o maior controle de risco, o redirecionamento tem a finalidade de manter o máximo de autoridade de uma página na mudança da URL e além de facilitar a navegação do usuário (e crawler).

Vale ressaltar que dificilmente será necessário tratar de todas as URLs de um site, usamos uma ordem de prioridade, elencando páginas que tiveram acesso nos últimos 6 meses, páginas que tiveram conversão ,páginas que trouxeram tráfego para o site e páginas que tem backlins apontados. Dessa forma não teremos uma lista gigantesca para o De/Para e assumimos que todas as URLs importantes terão o devido cuidado.

Para montar um De/Para é necessário que você crie uma planilha com todas as URL atuais, as URLs que serão otimizadas ou que terão o redirecionamento e colunas para te ajudar no controle.

planilha depara seo

Com essa planilha, o próximo passo é enviar para aplicação. Hoje a grande maioria das plataforma tem uma forma automatizada para recebimento de planilhas para aplicar o De/Para. É extremamente importante que faça a checagem para confirmar que o status de cada redirecionamento esteja voltando o status 301.

Canonical em páginas com conteúdo duplicado

Não devemos ter páginas com conteúdo duplicado, em hipótese alguma. Um exemplo clássico de conteúdo duplicado é uma página de categoria ter opções de visualização dos produtos por ordem de preço ou mais vendidos. Todo conteúdo é igual, só vai mudar a ordem, e a URL. Dessa forma o Google vê duas páginas diferentes (URLs diferentes) com o mesmo conteúdo.

Para resolver esse problema basta aplicar a tag rel=”canonical”. Com esse atributo nas páginas, no momento que o crawler do Google visitar cada uma das URLs com conteúdos iguais ele saberá que a relevância das páginas deve ser direcionada para determinada página.

No caso da migração a principal atenção deve ser feita com filtros e as URLs que são geradas através da aplicação desses filtros.

O exemplo abaixo é de uma postagem que participamos no blog do SemRush que colocamos também em nosso blog. Com a tag canonical aplicada, não teremos problema de conteúdo duplicado.

canonical seo

Otimizações de Title e Meta Description

Aproveite a migração para fazer um pente fino nas otimizações de Title e Meta Description. Verifique os padrões e reveja com calma principalmente as páginas que estão entre a 8º e 20º posições. As vezes, pequenos ajustes podem gerar melhoria de posicionamento relevante para seu negócio.

Um outro bom motivo para ter atenção é que agora (final de 2017) o Google passa a apresentar na SERP cerca de 350 caracteres na Meta Description.

Linkagem interna entre páginas

Essa é uma parte que fica um pouco de lado em migrações. A mudança de layout em muitas vezes deixa o site mais limpo, e nessa limpeza somem com os links entre páginas.

O problema nessa “limpeza” é que páginas que recebiam links internos, através desses links recebiam a distribuição de autoridade do site e tinham mais formas de acesso para usuários e crawlers. Sem link interno perdemos parte da capilaridade e distribuição da autoridade e facilidade de navegação.

Conteúdo interno

Mais um dos mais de 200 fatores de ranqueamento que você pode dar uma melhorada para migração. Revise os conteúdos de categorias e produtos sempre que possível, trabalhe com palavras em negrito, diagramação e principalmente com um conteúdo que seja útil para o usuário.

Uma dica valiosa é investir na Cultura SEO dentro da equipe que gera esses conteúdos. Todos devem saber a importância de um bom conteúdo, como fazer uma pesquisa de palavras-chave, usar os recursos do Google mesmo para otimizar as buscas e regras de otimização.

Com toda equipe conhecendo algumas áreas do SEO seu site se torna escalável no universo das buscas orgânicas. Tudo será otimizado!

 

Layout e usabilidade

Na mudança da plataforma, boa parte das vezes o que o usuário de fato vai perceber é que o layout mudou. É pra ele que o site precisa mudar mesmo, proporcione uma boa navegação e que a experiência dele no site seja agradável.

Um layout onde o usuário possa ler um conteúdo relevante e bem organizado, tenha pontos de conversão fáceis e que não atrapalhem sua navegação, menus inteligentes, imagens e vídeos dentro dos produtos e principalmente que toda navegação, independente do dispositivo seja agradável.

Pontos de conversão

Ecommerces tem a finalidade de fazer vendas online. Ok! Mas será que toda conversão é em dinheiro mesmo para um ecommerce?

No momento da migração reveja os pontos de conversão no das principais páginas, categoria e produto. As conversões podem ser para vender um produto, pegar o email para envio de newsletter, fazer uma pesquisa de mercado, ter um lead mais qualificado, entre outros. Portanto, explore as outras formas de conversão!

Vale frisar que uma página com pontos de conversão distintos deve ser bem estudada. A vantagem de mais de um CTA para outras conversões pode gerar insumos para inbound, pesquisas que trarão novos caminhos entre outras oportunidades. O lado ruim é que pode tirar a atenção para o objetivo principal, vender.

Performance em vendas

Esses são os projetos mais comuns em agências que trabalham com SEO, sites que buscam converter mais online, seja com diretamente com vendas, captação de leads ou outro tipo de conversão.

Projetos com foco em vendas antes mesmo de serem planejados devem ser bem alinhados, e quando digo alinhados quero dizer, quem vai fazer o que.

A história é conhecida. Reunião comercial, se chega em um denominador comum e o projeto foi vendido. Na apresentação do planejamento todos concordam em cada uma ficar com uma parte, a agência cera os guides, insights e orientações de melhorias, o cliente vai implementar tudo com a plataforma e sua equipe.

3º mês de projeto e já temos um backlog com coisas para aprovação, implementação e você repara que entre o que foi combinado na apresentação e o que está acontecendo tem uma diferença.

Não vamos discutir de quem é a culpa nesse conteúdo, talvez em um próximo vejamos isso e como resolver. Mas o que precisa ficar claro agora é que projetos de performance devem gerar resultados positivos, e para que isso aconteça é preciso logo na negociação comercial deixar tudo muito claro que o metas são batidas com implementações das orientações.

Agora vamos pra parte mais técnica, rsrsrs

Os projetos de performance geralmente seguem uma ordem muito usada em SEO. Arrumamos a base tecnológica do site, em seguida trabalhamos para oferecer uma boa experiência de navegação (UX) para o usuário e em seguida a preocupação maior fica com a autoridade do site. Todas essas 3 frentes atuam em paralelo, essa é uma ordem de importância.

piramide-seo

Fazendo uma analogia, imagine que estamos construindo uma casa.

A tecnologia é como se fosse a fundição da casa, a estrutura dela, precisamos que tenha a base bem feita, quartos e salas nos devidos lugares, parte elétrica e hidráulica em funcionamento. Trazendo para o universo de SEO é preciso que linkagem esteja certinha, velocidade de carregamento, estrutura de código, integrações em pleno funcionamento, de forma geral, a estrutura pronta.

Gerar uma boa experiência de navegação para o usuário seria a organização e arrumação da casa, como colocar os móveis, pintura, limpeza, tudo que numa casa faça com que as pessoas fiquem a vontade. Voltando pro SEO, seria a parte de conteúdo interno, layout, imagens, otimizações, abertura de páginas em termos sazonais, entre outras frentes que estão orientadas para que o usuário tenha a melhor navegação possível.

Casa construída, arrumada e agora o que falta? Open house! Trazer tráfego, ops, gente pra conhecer a casa. É aqui que trabalhamos a autoridade, o que tem um ótimo potencial de ranqueamento para páginas trabalhadas.

Até porque, faz sentido você trazer tráfego para um site que não esteja bem estruturado ou que não proporcione uma boa experiência para o usuário?

Auditoria em SEO

Assim como qualquer auditoria, a finalidade é verificar se algo está funcionando da maneira como foi planejada ou, em que podemos melhorar o processo ou projeto.

Vamos citar nesse post duas auditorias usadas em projetos na Search Lab. Auditoria de tecnologia e auditoria de performance em conteúdo.

Auditoria de tecnologia

Como vimos anteriormente, a base tecnológica de um site é a estrutura para as demais áreas, se seu site não tem códigos e estrutura da plataforma rodando bem, certamente de tempos em tempos terá custos para arrumar a tecnologia e limitações para implementações.

A auditoria vem justamente para identificar as falhas e barreiras. O principal documento que registra essa análise é o relatório OnPage, ele apresenta uma análise detalhada para adequação às boas práticas de SEO, assegurando melhor leitura do crawler e indexação das páginas.

Abaixo seguem os pontos analisados e um breve comentário sobre o assunto. Não se preocupe pois os comentários sobre itens já citados em projetos de migração são diferentes.

URL

As URLs são importantes para o ranqueamento nas busca e para a usabilidade. É através delas e do conteúdo da página que o crawler do Google identifica as palavras-chave associadas a uma página.

Se a sua URL for cheia de números e/ou códigos, o crawler fica perdido e você perde pontos, afinal, o que quer dizer “.com.br/THd34-09/category/12-09-2017” ? Ninguém, nem mesmo o Google sabe o que é isso.


Todas as URLs do site devem ser acessadas de apenas uma forma, evitando assim problemas com conteúdo duplicado, por exemplo, o site só pode ser acessível com ou sem WWW, com ou sem HTTPS, e com ou sem a barra (“/”) final na URL.

Title e Meta Description

Como já vimos, o Title de uma página é um dos fatores mais importantes para o seu ranqueamento, e a Meta Description é um fator extremamente relevante para a sua taxa de cliques.

Fazendo uma analogia rápida, é como se fosse o título de um livro, se tiver o conteúdo (palavras-chave) no título e chamar sua atenção, vai despertar seu interesse para comprar (acessar o site).


O Title é uma tag HTML que aparece com destaque no resultado de busca. É esse elemento que o Google utiliza como um primeiro entendimento do objetivo principal da sua página.  Por isso, é importante utilizar palavras-chave no título. A posição que você insere a palavra-chave no Title também tem um valor substancial: quanto mais próxima do começo, maior será sua relevância.

Headings

A auditoria de headings tem como finalidade garantir que não exista mais de um H1 nas páginas e orientar o uso das demais headings.

Em algumas plataformas a heading H1 é duplicada para versão mobile. Antes de acusar um o H1 duplicado verifique se não é esse o caso.

Aí vai uma dica para implementação:

Para alguns casos específicos podemos utilizar o seguinte padrão para a tag H1:

  1. Home: pode utilizar no logotipo ou em um slogan.
  2. Página do produto: utilizar no nome do produto.
  3. Página da categoria: utilizar no nome da categoria
  4. Página da marca: utilizar no nome da marca
  5. Página de busca: utilizar na palavra-chave da busca
  6. Artigo do blog: utilizar no título do artigo
  7. Home do blog: utilizar no logotipo ou frase com palavra-chave principal do blog.

headings seo

Conteúdo

Cada vez mais os mecanismos de busca dão relevância maior para um conteúdo de qualidade, único e essencial ao usuário, sendo assim é importante que as páginas do site tenham conteúdo deste tipo, que sejam relevantes para o usuário e que também sirvam de direcionamento ao Google para entender o assunto principal da página.


Devem ser criados conteúdos únicos com mais de 500 palavras, e não deve ser reaproveitado de outros sites.  Além disso, o texto tem que ser escrito para que tenha uma boa leitura. Não adianta nada listar apenas especificações técnicas e deixar todo o conteúdo textual de lado. Você deve saber que o seu leitor não é uma máquina, mas um ser humano. Com certeza um bom conteúdo fará com que ele passe um tempo maior na sua página e compre o seu produto.

É extremamente importante usar palavras-chave dentro de um texto, porém, sem comprometer a sua naturalidade.

Sempre que você perceber que uma palavra-chave se encaixa, em uma determinada parte do texto, deve usá-la. Entretanto, é preciso ter cuidado para não usá-la em demasia e deteriorar a qualidade do texto.

 

Imagens

As imagens das páginas também possuem impacto importante em SEO. Não apenas para que apareçam nas buscas de imagens, mas também como parte do conteúdo de uma página, aumentando a relevância da mesma.

Temos dois aspectos principais que influenciam no ranqueamento das imagens e que precisam de tratamento: nome do arquivo e atributo ALT.

Nome do arquivo

No nome do arquivo da imagem o ideal é que a plataforma utilize o nome descrito pelo usuário no momento do upload. Dessa forma, o usuário fica livre para utilizar as melhores palavras-chave.

Para alguns casos específicos podemos utilizar um padrão para o nome do arquivo:

Página do produto: utilizar o nome do produto no início do arquivo e deixar para o final as demais informações que se façam necessárias, como o código do produto.
Exemplo: Para um produto com nome “Camisa do Botafogo treino” a tag deve ser: “camisa-do-botafogo-treino-NOME-DA-LOJA”.

Atributo ALT

O Google não consegue interpretar automaticamente uma imagem para descobrir o que ela representa. Por isso, o atributo ALT é muito importante em uma imagem porque é ele quem explica isso ao Google.
Dessa forma, é importante utilizar palavras-chave na frase incluída no atributo ALT.

Veja um exemplo abaixo de preenchimento do atributo ALT.

alt nas imagens

Robots

O arquivo Robots.txt é responsável pela permissão ou bloqueio de indexação de URLs pelos mecanismos de busca.

A implementação padrão desse arquivo para liberar o acesso ao Google e demais crawlers é:

User-agent: *
Sitemap: http://www.dominio.com.br/sitemap.xml

É possível bloquear algumas pastas ou arquivos específicos que você não queira que o Google armazene no banco de dados, como é o caso da página de login. Para entender melhor como gerar um arquivo robots.txt, acesse: https://support.google.com/webmasters/answer/6062596?hl=pt-BR

Atualmente o Google está renderizando as páginas da Web de maneira similar aos mais modernos navegadores do mercado, realizando a leitura de arquivos CSS e Javascript. Com isso, bloquear esse acesso pode ser prejudicial para a forma que o robô do Google interpreta seu site. Para resolver isso, sugerimos incluir as linhas em que liberam o acesso do robô a esses arquivos, são elas:

Allow .css
Allow .js

Abaixo um exemplo para a plataforma WordPress:

User-agent: *
Disallow: /wp-admin/
Disallow: /wp-includes/
Allow: .css
Allow: .js
Sitemap: http://www.dominio.com.br/sitemap.xml

Sitemap

Arquivos de sitemaps são arquivos que contém listagens de URLs válidas e dados adicionais sobre as mesmas para serem indexadas por motores de busca.

A presença de um arquivo de sitemap permite que mecanismos de busca identifiquem e indexem mais rapidamente as páginas de um site.

Velocidade de carregamento

Atualmente, visando uma melhor experiência para os usuários, o Google considera como um dos fatores de ranqueamento a velocidade em que o site é carregado, sendo assim é necessário que o site tenha um bom desempenho.

Para mais informações de como otimizar o carregamento do seu site acesse:  https://developers.google.com/speed/docs/best-practices/rules_intro

Arquitetura

A arquitetura da informação é ponto chave no desenvolvimento de um site e no planejamento de conteúdo. É através dela que é estruturada toda a hierarquia de páginas e conteúdo, assim como os fluxos de navegação dos usuários.

Através dos fluxos de navegação, é possível planejar a profundidade de navegação de todo o site e otimizar a experiência do usuário.

Linkagem interna

As linkagem interna (link entre páginas do site) é importantíssimo para a correta leitura dos robôs e para a atribuição de relevância em relação a palavra-chave em foco. Entretanto, essa linkagem deve seguir um padrão e principalmente linkar para páginas ativas.

Caso uma página tenha um link para uma página quebrada ou uma página que não tenha ligação com o conteúdo dela, ela perde relevância.

Além disso, existe a questão da profundidade da navegação, ou seja, quantos cliques o usuários precisará dar para chegar em uma página estratégica. É aconselhado que o usuário vá no máximo até o terceiro nível de navegação.

Busca interna

A busca interna é de suma importância para o usuário e para  trabalho de SEO, pois ela além de ajudar o usuário a encontrar produtos ou informações, gera insumos para melhorias relacionadas ao SEO.

Filtros

Os filtros tem um papel importantíssimo na decisão de compra, pois os usuários tendem a busca produtos por faixa de preço, utilidade, entre outras possibilidades de filtragem.

Para objetivos de SEO, os filtros devem manter o padrão de URL idealizado para o site, facilitando a leitura dos buscadores.

Canonical

Quando falamos de e-Commerce, falamos de sites com muita possibilidade de tere conteúdo semelhante ou duplicado. Entretanto, existe uma forma de “avisar” aos buscadores que aqueles conteúdos não são duplicados e que ele deve interpretar somente 1 URL.

Essa forma é a canonical tag, um tag htm que serve de marcação para que os algoritmos entendam que aquela página é uma réplica de outra e não a indexem da mesma maneira.

Para entender mais sobre o assunto, segue uma URL do próprio Google sobre o tema. https://support.google.com/webmasters/answer/139066?hl=pt-BR

Redirecionamentos

Apesar de toda a evolução dos algoritmos de indexação, os mecanismos de busca não conseguem identificar automaticamente as mudanças de URLs. É preciso utilizar os redirecionamentos 301 para informá-los sobre essas mudanças.

O redirecionamento 301 é um mapeamento permanente no servidor para informar a ORIGEM (URL antiga) e o DESTINO (URL nova) aos mecanismos de buscas e usuários.

Um exemplo prático:
A URL da página ABC foi alterada para um padrão amigável:
URL original: http://www.dominio.com.br/page?id=3453
URL nova: http://www.dominio.com.br/url-amigavel

Para que o Google e os usuários encontrem a nova página ABC é preciso criar um redirecionamento 301 no servidor:
Redirecionamento 301: DE http://www.dominio.com.br/page?id=3453 PARA http://www.dominio.com.br/url-amigavel

A próxima vez que o Google tentar acessar a página ABC (etapa 1 da imagem abaixo), o servidor irá informá-lo que a página mudou de endereço (etapa 2). Com isso, o Google acessa o novo endereço da página ABC (etapa 3) e recebe uma confirmação de OK do servidor informando que é a página ABC (etapa 4).

Status

O HTTP é o protocolo responsável por fazer a comunicação entre o usuário em seu navegador e o servidor. A cada “solicitação” feita, o HTTP responde se você obteve sucesso, se não, se há algum erro na página, etc.

Para que essa comunicação possa ser feita corretamente, existem os códigos de resposta, que mostram o status do HTTP, a resposta para sua solicitação.

Breadcrumb

Breadcrumb é um sistema de navegação estrutural usada para proporcionar ao usuário um meio de localização dentro da estrutura de navegação do site.

Breadcrumbs indicam a localização atual do usuário e quais são os níveis superiores da estrutura.
Normalmente em uma barra horizontal na parte superior do site, permitem rastrear o caminho de volta para uma seção maior.

A navegação por breadcrumbs melhora a usabilidade do site, pois diminui o esforço do usuário para atingir uma página e facilita sua navegação, ao refletir a ordem lógica do conteúdo.

Exemplo de Breadcrumbs em um e-Commerce de moda:
Home > Calças > Jeans >

Sinais sociais

O Google cada vez mais preza pela melhor experiência do usuário como um dos fatores de ranqueamento para um site.

Uma das formas de representar isso é demonstrar uma experiência positiva ao usuário com um like, um tweet ou retweet, um compartilhamento ou citação criada por um pessoa em uma rede social.

Para isso, o site precisa ter suas redes sociais conectadas com o site para facilitar essa ação do usuário.

A otimização das páginas de produtos é um ponto super importante para os resultados em SEO . Vamos bater um papo para saber como podemos ajudar seu e-commerce?

Quero trocar uma ideia com especialistas em SEO!

Porque as empresas investem em SEO

No mercado digital existem diversas formas para que o usuário tenha interação com seu negócio (site, fan page, entre outros), seja comprar algum produto, simplesmente acessar uma página, ler um material ou qualquer outra interação.

O Google Analytics tem como padrão já configurado os canais abaixo:

  • Direct (Tráfego Direto)
  • Organic Search (Tráfego Orgânico)
  • Social (Tráfego gerado através das Redes Sociais)
  • E-mail (Tráfego gerado por ações de E-mail Marketing)
  • Affiliates (Rede de Afiliados)
  • Referral (Tráfego gerado a partir de links em outros sites)
  • Paid Search (Link Patrocinado)
  • Other Advertising (Outras Ações Patrocinadas)
  • Display

De todos os canais de aquisição, as buscas orgânicas bem trabalhada gera um alto impacto nos resultados do negócio. Esses resultados vão depender principalmente da estratégia que será implementada, o nicho de mercado, qual o nível de concorrência e o quanto você e seu negócio estão dispostos para trabalhar nas buscas orgânicas.

Para uma melhor leitura e clareza no conteúdo, montei uma lista de características sobre o trabalho de SEO e como eles podem impactar no negócio.

Investimento de longo prazo

Isso mesmo, você vai investir e o retorno não virá tão rápido quanto quanto em uma campanha de Adwords ou Facebook Ads (levando em consideração que essas campanhas foram bem planejadas e executadas). O investimento nas buscas orgânicas é mais lento pois temos alguns fatores que não influenciam tanto em outros canais.

  1. O Google mesmo com alguns algoritmos sendo atualizados em tempo real precisa de tempo para indexar novas páginas e backlinks.
  2. É preciso de um tempo para que os buscadores analisem mudanças e otimizações feitas no site para em seguida dar a relevância (ou tirar relevância).
  3. Após uma mudanças mais drásticas como layout ou em migrações é comum o Google fazer testes de posicionamento na SERP, variando o posicionamento. Não posso afirmar mas temos fortes indícios de que esses testes são para assegurar que geram melhor experiência para o usuário.

Maior assertividade na SERP

Usuários em sua grande maioria optam por clicar em resultados orgânicos ao invés dos anúncios pagos nos buscadores (Adwords no Google). Pesquisas dizem que entre 60 e 70%, não podemos afirmar pois essas médias vão variar muito de acordo com o nicho e a otimização dos anúncios.

Se quer impactar seu usuário sem deixar ele escapar na SERP, uma das melhores opções é estruturar bem a estratégia de SEO e campanhas de Adwords para que nos principais termos ele esteja te vendo, e se possível, convertendo.

Branding

Trabalhar as buscas orgânicas fortalece muito a marca pois diretamente o usuário associa o negócio aos termos relevantes.

Quando se trabalha o SEO para performance, o foco é trabalhar termos transacionais,além de termos de meio e fundo de funil, o que gera um share of mind, marca x termo.

Trabalhando termos de topo de funil o usuário tem uma aproximação com a marca mais amigável, o que ajuda muito na percepção de marca como um negócio que está ali não só para vender algo mas também  para ajuda-lo.

ROI

O retorno sobre o investimento em SEO é um atrativo. Em um site novo ou em mercados muitos concorridos o investimento demorar para voltar, já que é preciso construir uma autoridade sobre a marca e ganhar posicionamento para termos relevantes, mas logo após os primeiros resultados verá que o investimento pode reduzir, direcionando os esforços em link building.

Não existe um número ou prazo para que o investimento retorne, mas boa parte dos projetos de SEO começam a dar retorno antes do 6º mês. Isso vai depender muito do nicho, estratégia, escopo e implementações.

Capilaridade

As buscas orgânicas trabalham com palavras-chave, sejam elas em termos head tail (termos principais como por exemplo: tênis) ou em long tail (termos mais específicos como: tênis para correr maratona).

Com um bom entendimento do negócio e uma boa estratégia de SEO é possível diversificar os termos para atingir todos os momentos da jornada de compra do seu usuário quanto para ter uma boa exposição e interação de produtos, postagens e serviços.

Procure trabalhar com otimizações escaláveis, dessa forma o negócio como um todo será beneficiado.

Insights e impacto em outros canais

Trabalhar com buscas é descobrir novos termos importantes para seu negócio constantemente. Na mineração de palavras-chave, monitorando concorrentes, analisando dados dos usuários e na produção de conteúdo é possível trazer ideias para serem trabalhadas em diversos outros canais.

Uma das ajudas mais importantes que o SEO pode trazer é na frente de inbound. Com a pesquisa de palavras-chave e análise de mercado é possível identificar termos com volume de busca alto e baixa concorrência, entregando essas informações para o time de inbound e seus redatores é possível ter a produção de conteúdo atendendo todas as etapas do funil com mais assertividade.

Trabalho constante

Gerar tráfego orgânico para seu negócio é uma tarefa árdua e contínua. Hoje são cerca de 200 fatores de ranqueamento que o Google usa para classificar e posicionar seu site em uma busca na SERP. Além de todos esses fatores, atualmente o Google faz as atualizações nos algoritmos 600 vezes no ano. Isso quer dizer que você vai dormir com algoritmo rodando em um formato e pode acordar com ele em outro.

Então, além das mudanças do Google, não temos como saber o que exatamente seu concorrente está fazendo e qual estratégia está sendo feita.

Se quer se solidificar nas buscas orgânicas, faça um trabalho constante. Não deixe nem o Google nem seus concorrentes te surpreenderem.

Quais são os resultados esperados com projetos de SEO

O primeiro passo para falar em resultado é saber em quais frentes do negócio que se deve investir esforços. A definição da estratégia do projeto deve levar em consideração:

  • Maturidade da equipe em SEO
  • Backlog de implementações e mudanças previstas no cliente
  • Planejamento anual de eventos
  • Metas e objetivos do cliente
  • Responsáveis pelas implementações, prioridade em sprints e prazos
  • Categorias e produtos
  • Necessidades do site (definidas em análises do site)

Todos esses pontos levantados acima serão os pilares do planejamento de como deve ser o projeto de SEO. Depois disso tudo alinhado e bem definido com o cliente, aí sim, vamos falar de resultados.

A ordem de que os resultados vão aparecer no negócio podem variar muito de acordo com o planejamento e execução do projeto.

Em uma situação onde as páginas trabalhadas tem uma boa taxa de conversão, proporcionam ao usuário uma boa navegação e tem as questões de tecnologia (velocidade de carregamento, leitura de código, entre outros), o site pode focar esforços em ganho de posicionamento trabalhando otimizações e autoridade.

Nesse caso, os primeiros resultados esperados são melhoria no posicionamento de termos trabalhados e aumento da receita.

Em uma situação onde as páginas definidas para o projeto são pouco exploradas, não tem um bom trabalho de UX, CRO e tecnologia, é preciso primeiro “organizar a casa” seguindo algumas etapas. Arrumar a tecnologia, em seguida gerar ao usuário uma boa navegação e conversão e depois, trabalhar a autoridade.

Nessa situação um dos primeiros resultados que vem é a melhoria da conversão nas páginas que já recebem tráfego (não necessariamente orgânico), em seguida se ganha posicionamento e por fim com uma página que converte e bem posicionada, a receita começa a subir.

Esse foi um conteúdo que preparamos pensando em vários detalhes do SEO que trabalhamos diariamente na Search Lab. Vale ressaltar que as mudanças de algoritmos do Google e nossa percepção de negócio também muda muito, o que você está lendo hoje pode não fazer tanto sentido amanhã.

Leave a Reply 0 comments

Leave a Reply: